Início / Festas & Eventos / Rock in Rio: os 10 destaques do primeiro final de semana do festival

Rock in Rio: os 10 destaques do primeiro final de semana do festival

O Rock in Rio deu seu ponta pé inicial na última sexta-feira (15) e, de cara, já deixou sua marca na memória dos brasileiros e de todo o público presente na Cidade do Rock tanto no primeiro dia, quanto na sequência do festival, no sábado (16) e no domingo (17) em todos os palcos.

Durante o primeiro final de semana do Rock in Rio, melhores momentos para a lista não faltaram, tanto que foi difícil separar só 10 para a nossa lista. Imagina só na semana que vem…

Pablo Vittar

Se no primeiro dia do evento Pabllo Vittar já tinha causado uma senhora sensação ao arrastar uma multidão digna do Palco Sunset para seu show na tenda de uma das patrocinadoras do festival, sua participação no show da americana Fergie no Palco Mundo no sábado não deixou dúvidas: habemos uma nova diva pop em terra brasilis. A drag foi a grande personalidade do primeiro fim de semana do Rock in Rio.

Skank

É definitivamente o grande mantra da edição 2017. Você pode até não se sentir muito à vontade de politizar seu show, mas se você é artista nacional e não o fizer, parece que algo vai ficar faltando em sua apresentação. Skank no Palco Mundo, Blitz no Sunset e praticamente em todas as apresentações o coro “Fora Temer” se fez sentir. Às vezes entoado pelo público, outras pelos artistas. Até o repórter do Multishow China comentou: “É a música mais tocada no Rock in Rio desse ano!”

Fergie

A americana de 42 anos fez um show eclético, colorido e marcado por problemas técnicos. Mas Fergie soube cativar o público. Chamou Pabllo Vittar para cantar e rebolar com ela no palco e apostou no repertório do Black Eyed Peas. O playback talvez a tenha feito se sentir diva, mas Fergalicious, M.I.L.F.S e You Already Know trouxeram êxtase ao Palco Mundo. Entre os que aprovaram e os que reprovaram, um consenso: foi um show intenso.

Maroon 5

Headliner em duas noites do evento, na abertura substituindo Lady Gaga, o Maroon 5 apostou na cartilha certeira de seu repertório de hits. Se no primeiro dia foram mais simpáticos nos bastidores, no palco foram protocolares. Nada de Lady Gaga na apresentação, mas um mimo para os cariocas: “Garota de Ipanema” cantada em português. Eles já haviam cantado a música em show na cidade em 2016. No sábado, Adam Levine e sua turma se soltaram um pouco mais com um público assumidamente seu – o vocalista até tirou a camisa – mas na soma, os shows ficaram um pouco abaixo das expectativas.

Justiça a Elza Soares

Sensação internacional e com mais de 60 anos de carreira, Elza Soares nunca tinha se apresentado em um grande festival de música no Brasil. Essa omissão que beira o imperdoável foi corrigida no sábado (16). Aos 87 anos a cantora estreou no Rock in Rio em uma apresentação junto ao rapper Rael no Palco Sunset e o público veio abaixo. Elza foi merecidamente ovacionada.

A nostalgia da Blitz e Davi Moraes

A banda Blitz abriu os trabalhos no Palco Sunset e transportou os anos 80 para a Cidade do Rock em um show contagiante, nostálgico e cheio de bons momentos. Um desses momentos foi a participação do músico Davi Moares, que graças ao convite da banda liderada por Evandro Mesquita, que parece controlar as ações do tempo, se tornou o único artista a participar de todas as edições do festival no Brasil.

Comunhão com Shawn

O primeiro show do Rock in Rio a promover profunda sinergia entre público e artista foi o do canadense de 19 anos Shawn Mendes. As milhares de fãs do cantor entoaram seus “hinos” a plenos pulmões e impactaram o músico que fez uma boa estreia no festival sem o apoio de luzes e parafernálias. No piano e no violão, ele  conquistou a Cidade do Rock.

SOS Amazônia

No último dia do Rock in Rio, o público soltou a voz não só para cantar com as atrações da noite, mas também para gritar pela preservação da Amazônia e contra os políticos brasileiros. O protesto aconteceu no Palco Mundo durantes os shows de Alicia Keys e Frejat.

Protesto contra a homofobia

Se o público de Alicia Keys e Frejat gritou pela preservação da Amazônia no Palco Mundo, quem assistia Liniker, Almério e Johnny Hooker no Palco Sunset também protestou, mas no caso o público gritou contra a homofobia.

Para fechar com chave de ouro

Justin Timberlake subiu ao Palco Mundo para fechar a última noite do Rock in Rio com chave de ouro. O cantor, queridinho do pop, fez firulas e muitas gracinhas com o público. Para o delírio do público, o ex N’Sync ainda assinou uma bandeira do Brasil e desceu do palco para uma selfie com uma fã aniversariante. Que presentão, hein?

Tem mais!

Na próxima quinta-feira (21), o Rock in Rio estará de volta com shows de Aerosmith, Red Hot Chili Peppers, Guns N’ Roses, Bon Jovi e, é claro, muitos brasileiros para o público fazer a festa

 

Confira também

Estreia nesta segunda o programa “Encontro Marcado”, com Priscila Abreu; tudo sobre o universo feminino

Estreia nesta segunda (04) na programação da 88 o programa “Encontro marcado”. A apresentadora Priscila ...

Facebook lança Messenger para crianças, com opções de controle parental

O Facebook lançou nesta segunda-feira (4) uma versão do Messenger voltada especificamente para crianças, com ...

Italiano faz panetone mais caro do mundo: R$ 1,9 milhão

Produzido no Piemonte, norte da Itália, o panetone mais caro do mundo custa 500 mil ...

Confira a lista de indicados para o Grammy 2018

Saiu nesta terça-feira, 28, a lista de indicados para concorrer às diversas categorias do Grammy ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *